Almeida Salles em O Estado de S. Paulo

realismo ambivalente, autoria e ato crítico

  • Fábio Uchôa Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil
Palavras-chave: Crítica de cinema., O Estado de S. Paulo., Francisco Luiz de Almeida Salles

Resumo

O tema geral é o trajeto de Francisco Luiz de Almeida Salles em O Estado de S. Paulo, do qual foi redator encarregado pela crítica de cinema entre 1950 e 1961. Busca-se definir as continuidades de sua escrita, incluindo formas, temas, postulados da crítica diária, bem como a opção teórica por um realismo ambivalente. Para tanto, toma-se por inspiração metodológica o mapeamento de seu “ato crítico” (Antônio Cândido), elucidando-se que seu principal campo de manobra será o biográfico/autoral, examinado como local de empenho das relações entre o racional e o sensível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Uchôa, Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo. Pós-doutor em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, São Carlos, São Paulo, Brasil. Professor Adjunto da Universidade Tuiuti do Paraná – UTP, Curitiba, Paraná, Brasil. Atuou como pesquisador da Cinemateca Brasileira. É coordenador do grupo de pesquisas Cine&Arte (CNPq).

Referências

ANDREW, Dudley. As principais teorias do cinema. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

ARISTARCO, Guido. Los gritos y los susurros. Valladolid: Universidad de Valladolid, 1996.

BAECQUE, Antoine de. (Org.). La política de los autores. Barcelona: Paidós, 2003.

BERNARDET, Jean-Claude. Cinema brasileiro: propostas para uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

______. O autor no cinema. São Paulo: Brasiliense/Edusp, 1994.

CALIL, Carlos Augusto. A inteligência do crítico. In. SALLES, Francisco Luiz de Almeida. Cinema e verdade. São Paulo: Cia das Letras, 1987. p. 09-12.

CANDIDO, Antônio. O ato crítico. In: ______. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Editora Ática, 1989. p. 122-139.

CINEMATECA BRASILEIRA. Quadro de Arranjo do Fundo Francisco Luiz de Almeida Salles. São Paulo, 2009a.

______. Cronologia de Francisco Luiz de Almeida Salles. São Paulo, 2009b.

CORREA JR., Fausto Douglas. A cinemateca brasileira: das luzes aos anos de chumbo. São Paulo: Editora UNESP, 2010.

COUTINHO, Afrânio. Crítica e poética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

CROCE, Benedetto. Breviário de estética/Aesthetica in nuce. São Paulo: Ática, 2001.

GONÇALVES, Rodrigo J. A restauração conservadora da filosofia: o instituto brasileiro de Filosofia e a autocracia burguesa no Brasil (1949-68). 2016. 282 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

KRACAUER, Siegfried. A biografia como forma da nova burguesia. In: ______. O ornamento da massa. São Paulo: Cosac Naify. 2009. p. 117-122.

______. Teoría del cine. Barcelona: Paidós, 1989.

SALLES, Francisco Luiz de Almeida. Cinema e verdade. São Paulo: Cia das Letras, 1987.

______. Entrevista concedida a Amir Labaki, Carlos A. Calil e Rudá de Andrade. São Paulo, 28 de agosto de 1991. [Pasta 716 – Centro de Documentação e pesquisa da Cinemateca Brasileira]

SOUZA, José Inácio de Melo. Paulo Emilio no paraíso. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2002.

______. A carga da brigada ligeira, intelectuais e crítica cinematográfica. 1995. 262 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade de São Paulo, São Paulo,1995.

______. Almeida Salles crítico de cinema: observações preliminares. Comunicações e Artes, v. 25, p. 17-26, jun.1991.

UCHÔA, Fábio Raddi. Escrita e apologia em Francisco Luiz de Almeida Salles. In: ENCONTRO ANUAL DA AIM, 3, 2013, Coimbra. Anais... Lisboa: AIM, 2014. p. 209-219.

VASARI, Giorgio. Vidas dos artistas. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

Artigos de Almeida Salles usados neste artigo

SALLES, Francisco Luiz de Almeida. Cinema e verdade. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 30 out. 1965. p. 39.

______. Em louvor a Person. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 9 out. 1965. p. 41.

______. Em defesa de Pietro Germi. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 3 abr. 1965. p. 1

______. O “Potemkim”, de S. M. Eisenstein. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 25 nov. 1961. p. 16.

______. Teoria do cinema. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 dez. 1959. p. 5

______. A regra e o jogo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 7 nov. 1959. p. 5

______. O mestre Hitchcock. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 26 abr. 1959. p. 64

______. Rossellini: o homem e o artista. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 ago. 1958. p. 9.

______. Didática da crítica de cinema. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 10 nov. 1956. p. 1

______. O mito, a obra e o homem. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 25 maio 1957. p. 48.

______. O Expresso de Xangai. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 15 set. 1956. p. 6

______. Jean Epstein. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 18 jul. 1954. p. 69

______. Arroz Amargo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 3 mar. 1951, p. 4.

______. A mulher sem nome. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 31 jan. 1951, p. 5

______. Feras que foram homens. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 30 dez. 1950. p. 4.

______. Sem piedade. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 21 dez. 1950. p. 5.

______. Cinema – técnica ou arte? O Estado de S. Paulo, São Paulo, 03 out. /22 out. 1950. p. 8.

Publicado
08-05-2020
Como Citar
Uchôa, F. (2020). Almeida Salles em O Estado de S. Paulo: realismo ambivalente, autoria e ato crítico. E-Compós, 23. https://doi.org/10.30962/ec.2013
Seção
Artigos Originais